BREVE HISTORIAL DA ASSOCIAÇÃO “ACADÉMICO 83” DO PORTO INGLÊS

O Grupo Recreativo, Desportivo e Cultural “Académico 83”, que pela deliberação da Assembleia geral do dia 26 de Agosto de 2012 passou a chamar-se ASSOCIAÇÃO ACADÉMICO 83 DO PORTO INGLÊS, nasceu do rebento de estudantes, que se encontram na Cidade da Praia, com o fito de concluir os seus estudos liceais, e como havia um certo vazio no concernente à ocupação dos tempos livres nas férias, decidiu-se então pela criação de um grupo organizado para a realização de actividades de caracter desportiva e cultural.

Assim, a 06 de Julho do ano de 1983, na então Vila de Porto Inglês, actual Cidade de Porto Inglês, Zona do Farol, foi fundado o Grupo Recreativo Desportivo e Cultural “Académico 83” pelos jovens: Jacinto Spencer dos Santos, Mário Anibal Costa, Francisco Adriano Contina Inês, Domingos Emanuel Soares , Nelson Dos Santos e Domingos Carlos Lopes Correia, na residência do Sr. José Lopes Correia. Na semana seguinte foi indigitado um dos membros fundadores para liderar o grupo, até à realização de uma Assembleia Geral e a escolha recaiu no Jacinto Spencer dos Santos (Chim di Zabel), que teve a incumbência de preparar a Assembleia Geral.

Decorrido a Assembleia, onde foi apresentado uma lista concensual, o Jacinto Spencer dos Santos, um dos fundadores do grupo foi eleito Presidente, e uma das primeiras preocupações era a apresentação dos Estatutos para serem discutidos e aprovados com o objectivo da criação dos Pelouros. Dos sete pelouros criados, os de desporto e cultura, foram os que mais destacaram.

No desporto o grupo deu um grande salto qualitativo, em diversas modalidades de salão, nomeadamente, futebolinho e andebol, participando em diversos torneios e tendo ganho por diversas vezes.

A dinâmica do grupo não ficou por aí e na época desportiva 1987/1988, a equipa foi reconhecida juridicamente, pelo então Ministro da Juventude e Desporto, Dr. David Hopfer Almada, atravês do Boletim Oficial nº 20 da República de Cabo Verde, de 16 de Maio de 1987, portaria nº 29/87.

Com esse reconhecimento jurídico, foi criado espaço para o grupo preparar o seu futuro com muita serenidade, e um dos objectivos imediato foi a participação em competições oficiais.

Apesar de sucessos de início o Académico também não escapou aos momentos difíceis dos anos noventa, e os porquês era bem visíveis ao ponto do clube nem ter meios para pagar a renda da sede, e como tal o local para convívios e sócios, sendo por diversas vezes ameaçado de despejo.

Se na década de noventa as dificuldades era mas na ordem financeira, a crise acentuou-se nos anos dois mil, tendo o clube passado treze anos sem ganhar um campeonato regional, o que levou a alguma desmotivação e grande frustração no seio do universo academista. O clube estava habitado às vitórias e de repente viu-se o seu dominio ser ultrapassado pelo rival da capital maiense.

Há, ainda, outras situações inerentes à fragilidade da propria ilha, como:
•Semi-profissionalismo, devido a fraca oferta e ao desemprego entre a camada jovem;
• Desvios comportamentais como a tóxico-dependência, alcoolismo, etc:
•Falta de mística clubista e amor à camisola.

Em 2011, alguns membros mais influentes organizaram numa reunião na casa de Zé di Dada e o objectivo primordial era trazer o clube à ribalta do futebol maiense, e era bem visivel a necessidade dessa agremiação reconquistar o seu espaço desportivo. Traçou-se algumas metas e todos compremeteram em ajudar a tirar o clube do grande jejum que sobria. Para isso houve apoios de membros na diáspora, principalmente dos Estados Unidos, que trouxeram meios necessários para a formação de uma equipa competitiva, e os resultados são bem visíveis.

As dificuldades nunca deixaram de existir, e para atenuar alguns obstáculos ,em agosto realizou-se uma assembleia geral, onde foi eleita uma nova direcção, que assumiu alguns objectivos, nomeadamente, efectuar campanha de angariação de fundos (receitas) para aplicar na equipa de futebol, bem como aumentar a base social “Académico 83” mais forte.

É de realçar o vínculo no seio do grupo dos fundadores e de todo o núcleo duro do clube, fruto de uma convivência diária, que era familiar, e que foi conservada na adolescência e na vida adulta, tendo sido vital para salvar o Académico 83 nos periodos mais difíceis do seu percurso.

Mas o Académico sempre foi um clube emprendedor e com pensamento no futuro, e por isso, tem-se em mente a eleboração de um projecto para a construção da sede social, mas para que isso aconteça é prioritario o saneamento fianceiro do clube com o aumento de quotas dos sócios e patrocínios de entidades privadas e públicas, para que possa andar pelos proprios pés.

MÉRITOS DESPORTIVOS:
• Realização do Iº Encontro das Académicas, com a participação da Académica da Ilha do Fogo;
• Campeão Regional de Futebol da Ilha do Maio, por oito vezes;
• Campeão Regional de Futebol da Ilha do Maio de Sub-17, por três vezes
• Campeão Regional de Andebol da Ilha do Maio, por três vezes.

MÉRITOS CULTURAIS:
• Realização do Iº Festival de músicas tradicionais da Ilha do Maio, com a presença de mais de duas centenas de artistas oriundos de várias partes da ilha;
• Criação de grupos de danças e de teatro;
• Realização de várias feiras populares com exposição de vários produtos da ilha, nomeadamente da tecelagem, olaria, e de rendas e bordados.
• Festas de aniversários do grupo e festas do fim do ano;
• Passeios convivios à varias praias da ilha.

 

Apesar das dificuldades de então, a Associação Académico 83 do Porto Inglês atingiu em grande parte os objectivos preconizados.
Assim, pelos feitos conseguidos desde a sua criação e méritos atingidos, pensamos que a associação deu um grande contributo para o desenvolvimento sócio-cultural e desportivo da ilha do Maio, e não só.

Actualmente, o Académico 83 é o bicampeão do Regional de Futebol do Maio, épocas 2014/2015 e 2015/2016, vencedor da Taça Djarmai, tricampeão regional de Futebol do Maio de Sub-17 e campeão regional de Andebol Masculino.

Actualmente, o Académico 83 é o bicampeão do Regional de Futebol do Maio, épocas 2014/2015 e 2015/2016, vencedor da Taça e Supertaça Djarmai e campeão regional de Andebol Masculino.

Aproveitamos a oportunidade para apelar a quem de direito que seja atribuida a essa agremiação uma medalha de mérito, pelo valioso contributo prestado à nossa querida ilha do Maio.

Facebook